sexta-feira, 25 de setembro de 2009

CASTELAO EM GUIMARÃES (1)

"Aqui nasceu Portugal". Muralha da vila de Guimarães. Fonte própria.


Guimarães, Património da Humanidade desde 2001, Capital Europeia da Cultura em 2012, visita turística obrigatória em Portugal e, além disso, origem da própria nação portuguesa. Assim o atesta o icónico texto na muralha da vila a pé do Largo do Toural, "Aqui nasceu Portugal".

De fato, a cidade de "Vimaranes" está associada à fundação da identidade portuguesa porque lá, em 1128, tem lugar a Batalha de São Mamede, entre Dom Afonso Henriques e as tropas de sua mãe, D. Teresa e do conde galego Fernão Peres de Trava, "que se tentava apoderar do governo do Condado Portucalense". A origem da nação portuguesa ainda terá de esperar mais algum tempo, principalmente a partir do Rei Dinis. Mas Guimarães é conhecida desde então em Portugal como "O Berço da Nação Portuguesa" ou "Cidade Berço", como explicam na wikipedia "devido ao facto aí ter sido estabelecido o centro administrativo do Condado Portucalense por D. Henrique e pela importância histórica que a Batalha de São Mamede, travada na periferia da cidade , teve para a formação da nacionalidade ".

Estátua de Dom Afonso Henriques em Guimarães. Fonte: www.panoramio.com


Guimarães tem, assim, um sabor agridoce para os galegos: também foi o primeiro distanciamento histórico entre Galiza e Portugal, que até então formar a própria identidade, e as vicissitudes da História entre os séculos XII e XV, fariam com que a nossa língua e cultura prosperar em uma Portugal independente, enquanto Portugal entrava nos Séculos Escuros submetida finalmente a Castela.

Mais Guimarães não esquece a Portugal, e reserva-lhes os galegos que lá se aproxime de uma "homenagem" à nossa cultura em comum que é um imenso motivo de alegria, e ela lhe dedica este artigo. Haberémolo de ver em um instante.

Castelo de Guimarães. Fonte própria.

Paço dos Duques de Bragança, Guimarães. Fonte própria.


Na parte alta do Centro Histórico de Guimarães, podemos visitar os monumentos mais importantes da vila: o Paço dos Duques de Bragança eo Castelo de Guimarães. O primeiro, edificado no século XV pelo primeiro Duque de Bragança ao estilo Borgonha, ficou abandonado pouco tempo depois, até que em 1933 foi recuperado-de-jeito polêmico pelo ditador Salazar, que o transformou na sua residência oficial.

"O Castelo de Guimarães na história".
Fotografias expostas no Paço dos Duques de Bragança. Fonte própria.


O segundo, o Castelo de Guimarães, esconde (é um falar, porque a verdade é que está bem à vista na fachada principal) o tesouro do que falamos. O Castelo, uma das sete maravilhas de Portugal, principiou a se construir no ano de 958, e teve especial relevância nos fatos que deram lugar ao nascimento de Portugal, uma vez que "dentro dos muros dessa cerca terá resistido D. Afonso Henriques ao assédio das forças do rei Afonso VII ", e" no vizinho campo de São Mamede, o castelo foi testemunha do embate entre as forças de D. Afonso Henriques e de D. Teresa "mencionado anteriormente.

Interior do Castelo de Guimarães. Fonte própria.

É aqui, no Castelo de Guimarães, em sua fachada principal, junto à porta que dá acesso ao interior do monumento, onde podemos encontrar esta placa:

"Homenagem à cultura luso-galaica:
'A nossa língua florescer em Portugal' - Castelao
'A minha pátria é a língua portuguesa' - Fernando Pessoa
Guimarães, 7 de maio de 1988 "


Eu acho que não precisa de mais comentários. Muito obrigado, Guimarães! Já vedes amigos, não só "nosquedaportugal" e "alemdominho" trabalham por homenagear a nossa cultura em comum ...

Mas Guimarães, Património da Humanidade, esconde mais tesouros que veremos manhã na segunda parte deste artigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário